Este blog foi criado na disciplina de Àrea de projecto com o objectivo de falar de todo o tipo de coisas sobre tubarões como: perigos, espécies, caracteristicas e curiosidades

26
Out 09

Os tubarões são os animais mais capacitados sensorialmente, tem uma capacidade fantástica de perceber estímulos de todos os tipos, é capaz de perceber uma gota de sangue em um milhão e meio de gotas de água a uma distância de 30 metros. O olfato é fantástico, e a sua audição e a linha unilateral estão relacionadas e funcionam como radares para perceber vibrações na água. São dotados de sensores elétricos e por isso são capazes de perceber a sua presa pelos impulsos elétricos, que todo corpo possui em volta de si, e os tubarões são capazes de percebê-lo. A sua visão no escuro chega a ser melhor que a de um gato.

publicado por Humor às 16:37

Nome científico: Galeocerdo cuvieri 

  

 

Ordem: Carcharhiniformes

 Muito perigosos, como o próprio nome sugere, os tubarões-tigre são reconhecidos pela sua natureza agressiva e incríveis habilidades predatórias. Chamados assim devido à sua pele listrada, os tubarões-tigre são de longe o maior membro da sua família. Encontrados com freqüência em águas tropicais de baixa profundidade, os tubarões-tigre se sentem à vontade em estuários lamacentos ou em oceanos temperados, onde caçam tudo, seja comestível ou não; já foram encontrados no estômago de tubarões-tigre garrafas de plástico, placas de carros, pneus, garrafas de vinho e latas vazias. Seus impressionantes dentes afiados são usados com freqüência para arrancar pedaços de presas muito maiores que eles, incluindo carcaças de baleias e de outros animais marinhos; e são famosos pela sua capacidade de comer criaturas resistentes, como as tartarugas.

 

O tubarão-tigre só perde para o tubarão-branco no que se refere ao registro de números de ataques a humanos. Seu enorme tamanho, natureza curiosa e hábitos de alimentação incertos o tornam um adversário perigoso, tendo já sido responsável por muitos ataques fatais.

Tamanho máximo: Mais de 5 m / 700 kg

Distribuição: Em águas temperadas e tropicais do mundo inteiro, exceto no Mediterrâneo. Encontrado com freqüência em águas profundas no mar aberto.

Dieta: Pequenos moluscos, crustáceos, peixes pequenos e lulas.

Reprodução: Ovovivíparos. As fêmeas têm entre 30 e 50 crias.

  

 

publicado por Humor às 15:32

Nome científico: Chlamydoselachus anguineus  

 Família: Chlamydoselachidae

 

   Esta espécie, que se julgava extinta, tem cerca de dois metros de comprimento e habita águas em profundidades que vão desde 600 a 1000 metros. Tem uma importância econômica reduzida (pesca).

   Um exemplar fêmea foi filmado em 24 de Janeiro de 2007 numa raríssima aparição em águas pouco profundas do litoral do Japão , próximo à cidade de shizuoka. No entanto, o espécime se encontrava em péssimo estado físico e morreu horas após ser coletado.   O tubarão-cobra é uma das criaturas mais antigas já encontradas vivas nos dias de hoje. Já foram encontrados fósseis deste animal com cerca de 80 milhões de anos.

 

publicado por Humor às 13:58

19
Out 09

Nome científico: Prionace glauca

Ordem: Carcharhiniformes

Os tubarões-azuis (“blue sharks”) estão entre os mais comuns e bem distribuídos, sendo normalmente vistos no alto-mar e, em certas ocasiões, em águas costeiras. Eles são famosos pela sua capacidade migratória. Há registros de alguns exemplares que nadaram milhares de quilômetros entre dois continentes em apenas alguns meses.

Os tubarões-azuis são peixes de pesca esportiva muito popular e alvos de muitos pescadores. Mas a verdadeira ameaça a eles vem dos barcos de pesca comercial, que podem apanhar cerca de 20 milhões de tubarões-azuis por ano, muitas vezes através das redes utilizadas para pescar outras espécies. Grande parte das barbatanas utilizadas nas famosas sopas de barbatanas vem desta espécie.

Tamanho máximo: 3,8 m

Distribuição: Águas tropicais e temperadas do mundo inteiro, principalmente em mar aberto.

Dieta: Pequenos peixes com espinhas e lulas.

Reprodução: Vivíparos. Entre 20 e 50 crias por ninhada.

publicado por Humor às 16:23

Nome científico: Carcharhinus leucas

Tamanho: São tubarões grandes e agressivos, chegam a pesar 225 Kg e a atingir mais de 3m.

Dieta: Alimentam-se de peixes, arraias lixa e até de outros tubarões. São grandes predadores, não temem nada e estão sempre em busca de comida. Embora os humanos não sejam sua presa normal eles se enquadram dentro de seu cardápio alimentar.

Habitat: Não são encontrados apenas na água salgada do mar mas também em água doce.

Reproducão: São vivíparos e nascem cerca de 13 filhotes após uma gestação de 1 ano. Os filhotes já nascem com 70 cm de comprimento e podem viver aproximadamente 14 anos.

Descrição geral

Os Cabeças chatas são considerados um dos tubarões mais mortais do mar. Em âmbito mundial, provavelmente matam mais pessoas do que qualquer outro tubarão. Atacam em áreas onde há muitas pessoas nadando ou tomando banho de mar. Em inglês, o tubarão cabeça chata é chamado de tubarão touro devido ao seu corpo imponente, por ser forte como um touro e ter uma boca grande para o seu tamanho. Seus dentes são serrilhados e projetados para arrancar grandes nacos de animais avantajados.

São escuros em cima e claros embaixo, o que os torna quase invisíveis para as suas presas. Possui nariz e olhos pequenos; sua primeira nadadeira dorsal é maior e mais pontuda em relação a segunda. As fêmeas são sempre maiores que os machos chegando a 3,5 metros.

 

publicado por Humor às 16:20

Nome científico: Labeo bicolor


Origem
Peixe originário da Tailândia.

No aquário
Esta espécie, apesar de ser muita atractiva pelo seu aspecto, desaconselha-se vivamente para aquário comunitário onde haja peixes muito pequenos.

É voraz e agressivo, e normalmente provoca a morte dos peixes de menor dimensão.
Com peixes de igual ou maior tamanho tende a ser mais pacifico.

Tamanho
Comprimento quando adulto 15 cm

Água
Temperatura da água 22º a 26º
 

publicado por Humor às 15:38

Nome científico: Carcharodon carcharias

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Chondrichthyes
Subclasse: Elasmobranchii
Superordem: Selachimorpha
Ordem: Lamniformes
Família: Lamnidae
Género: Carcharodon
Espécie: C. carcharias

Distribuição
Os tubarões-brancos podem ser encontrados em quase todos os oceanos do planeta, nas placas continentais em redor dos continentes, já que aí abunda normalmente uma grande quantidade de alimento. Podem ainda ser encontrados no Mar Mediterrâneo e no Mar Vermelho, evitam as águas mais frias junto aos oceanos Ártico e Antártico.

Alimentação
Da alimentação destes grandes animais fazem parte os mamíferos marinhos as tartarugas e peixes de grande dimensão.

Estado de conservação
Vulnerável

Gestação e maturidade sexual
As fêmeas atingem a maturidade sexual quando atingem cerca de 4 metros.
Nascem em média 3 a 4 crias com cerca de 1,2 metros de comprimento.

Tamanho
4 a 7 metros de comprimento
Podem pesar mais de 1500 quilos

Longevidade
Estima-se que possam atingir os 30 anos, embora não seja ainda possível fazer esta afirmação com toda a certeza.

 

 

publicado por Humor às 15:28

Nome científico: Balantiocheilus melanopterus



Origem
Peixe Originário do Sudoeste Asiático.

No aquário
Excelente para viver em aquário comunitário, pois apesar do seu nome é bastante pacifico.

Tende a ser um peixe nervoso e que se movimenta em grande velocidade.

Belo peixe, com uma silhueta muito bonita, a sua cor prateada, com a ponta das barbatanas e cauda pretas, torna-o num peixe muito apreciado.

Tamanho
Comprimento quando adulto 30 cm

Água
Temperatura da água 26º a 28º

 

publicado por Humor às 15:21

15
Out 09

Ordem: Orectolobiformes

O maior de todos os tubarões e o maior peixe vivo conhecido, o tubarão-baleia constitui um dos mais comoventes espetáculos nos oceanos. O seu tamanho colossal e grande boca o tornam facilmente reconhecível, podendo ser visto perto da superfície em muitas águas tropicais ou subtropicais do mundo inteiro.

Os tubarões-baleia alimentam-se principalmente de plâncton, embora também comam regularmente cardumes de pequenos peixes e lulas.

Ao contrário dos tubarões-frade, que simplesmente filtram enormes quantidades de água enquanto nadam, os tubarões-baleia sugam ativamente as suas presas antes de filtrá-las com eficácia. Já foram observados se alimentando em grupos em lugares com grande concentração de algum determinado tipo de alimento.

Aparecem regularmente nos mesmos locais e determinadas épocas do ano, provavelmente para aproveitarem o florescimento regular de plâncton e certos acontecimentos, como a desova dos corais. Por esta razão, tornaram-se o centro de uma grande indústria de ecoturismo em algumas partes do mundo, principalmente na costa ocidental da Austrália, onde os mergulhadores fazem fila para ter a oportunidade de nadar junto com estas dóceis criaturas.

Os tubarões-baleia estão protegidos por lei em alguns países, mas são caçados em outros, principalmente em Taiwan e Filipinas.

Mais de 100 tubarões são mortos anualmente somente em Taiwan, o que levanta sérias preocupações quanto ao futuro de um peixe que cresce lentamente e que demora para atingir a maturidade.

Tamanho Máximo: Incerto, mas provavelmente até os 20 metros / mais de 12.000 kg.

Distribuição: Todos os mares temperados quentes e tropicais, exceto o Mediterrâneo. É possível que seja um animal altamente migratório.

Dieta: Zooplâncton, pequenos peixes, lulas.

Reprodução: Vivíparo. Número de crias variado; um exemplar em Taiwan continha mais de 300 fetos, o maior número encontrado em um tubarão.

 

 

publicado por Humor às 18:34

14
Out 09

Os tubarões podem nadar com grande velocidade quando excitados. Os cientistas registraram a velocidade de um cação-azul que nadava 69km/h. A maioria dos tubarões é dotada de cauda em forma de foice ou crescente (heterocerca), o que lhes facilita nadar. A parte superior da cauda é mais comprida que a parte inferior. Nadadeiras peitorais (laterais) rígidas ajudam a erguer e equilibrar a parte dianteira do corpo.
A maioria dos peixes possui bexiga natatória, órgão que permite aos peixes manter-se a certa profundidade sem afundar. Os tubarões, contudo, são desprovidos desse órgão; no entanto, possuem um fígado volumoso – chega a ser responsável por 25% do seu peso – cheio de óleo. Esse óleo é mais leve que a água e ajuda a evitar que o tubarão afunde. Mesmo assim a maioria das espécies de tubarões precisa nadar constantemente desde o nascimento, pois ao contrário, afundam.

publicado por Humor às 17:43

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
16
17

18
20
21
22
23
24

25
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2009

mais sobre mim
Pesquisar:
 
blogs SAPO